Arquivo para agosto \17\UTC 2007

JOSÉ SIMÃO – Ueba! Queremos o estoque do Bahamas!

ze-simao.jpg

BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Direto do País da Piada Pronta!
Renan atrasa votação de projeto de sua autoria. E qual o nome do projeto dele? FIDELIDADE partidária.
O quê? Fidelidade? Mas a mulher dele levou mais chifre que pano de toureiro!
E um amigo meu tem um conceito peculiar de fidelidade: “Eu sou fiel, vou sempre ao mesmo motel”. Fiel ao motel. Rarará!
E essa: reforma hidráulica no Senado para descobrir fedor. E adivinha de onde vem o fedor? Do gabinete do Renan! Do Renan Avacalheiros! Chega de piada pronta! Deve ser fedor de esterco!
E o fechamento do Bahamas pelo Kassab, o prefeito Piu-Piu? Aliás, sabe como estão chamando o fechamento do Bahamas? TEMPORADA DE KASSAB ÀS QUENGAS! Rarará.
E eu não quero saber pra que presídio estão levando o dono do Bahamas, eu quero saber pra onde estão levando as quengas. Rarará! O estoque! Diz que vai ter passeata: Queremos o Estoque do Bahamas! Rarará!
E uma dúvida cruel: e se o dono do Bahamas for condenado a prisão domiciliar? Vai pra onde?!
E saiu o slogan da candidatura do Oscar Maroni pra prefeito: “Com Maroni prefeito, vamos tocar esse puteiro!”. E se o Kassab quisesse mesmo ganhar dinheiro, ele não fechava a Boite Bahamas. Botava zona azul no estacionamento do bordel!
E corre na internet uma charge do Jobim com o Lula: “Temos que tirar alguns assentos dos aviões”. E o Lula: “Avião não tem assento, tem TIL”. Rarará! Avisa pro Lula que não é só peixe que morre pela boca, lula também!
E sabe como se chama o movimento Cansei na Bahia? DESCANSEI! E o site Charges já bolou a trilha sonora do Cansei. É com o Cauby: CANSEI…SÃO! Eu me lembro muito bem. Mas pode ser aquela outra do Cauby: Cansei! Cansei! Cansei!
Rarará!
É mole? É mole, mas sobe. Ou, como diz aquele outro, é mole, mas só sobe no Bahamas!
Antitucanês Reloaded, a Missão. Continuo com a minha heróica e mesopotâmica campanha “Morte ao Tucanês”. Acabo de receber mais um exemplo irado de antitucanês. É que em Manaus tem um salão chamado Careca Cabeleireiro! Mais direto impossível. Viva o antitucanês.
Viva o Brasil!
E atenção! Cartilha do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. “Imputado”: dono do Bahamas preso na delegacia. Rarará. O lulês é mais fácil que o inglês. Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje, só amanhã!
Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno!

Famílias pagarão R$ 626 de CPMF neste ano, diz estudo

Reportagem da Folha de S.Paulo

Cada família terá de gastar R$ 626,41 neste ano apenas para o pagamento da CPMF (contribuição cobrada de cada cidadão quanto movimenta dinheiro em contas bancárias). O valor representa aumento de R$ 61,90 em relação aos R$ 564,51 pagos no ano passado. Por pessoa, serão R$ 187,95 neste ano, contra R$ 171,76 em 2006.

Alguns motivos justificam esse aumento nominal de 11%: maior atividade econômica, mais pessoas trabalhando e, em conseqüência, maior consumo.

Os dados constam de estudo divulgado ontem pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) mostrando o histórico do tributo desde sua criação, em 1993, até agora.

Para este ano, o IBPT prevê que a receita com o tributo chegará a R$ 35,5 bilhões, ou 1,4% do PIB (Produto Interno Bruto). O valor representará aumento de 10,7% em relação aos R$ 32,079 bilhões arrecadados pela Receita Federal em 2006.

Segundo Gilberto Luiz do Amaral, presidente do IBPT e um dos autores do estudo, se o governo conseguir aprovar a prorrogação da CPMF e a DRU (Desvinculação das Receitas da União) até 2011, a reforma tributária não sairá do papel.

“Se forem mantidas a CPMF e a DRU, o governo deixará a reforma tributária na gaveta.” Para Amaral, isso são será novidade, uma vez que já ocorreu no primeiro mandato de Lula e nos dois de FHC, quando o tributo também foi prorrogado.

O estudo do IBPT mostra alguns números para provar que a CPMF é um tributo perverso. Primeiro: como incide em todas as etapas de produção, seu custo é repassado ao consumidor final, que tem de arcar com mais 1,7%, em média, na hora de comprar qualquer produto ou serviço -seja arroz, feijão, carne, roupas, energia etc.

Segundo: a CPMF incide sobre outros tributos. Significa dizer que, quando uma pessoa paga IPTU, IPVA ou outro tributo, seja por meio de dinheiro, cheque ou débito em conta, está pagando mais 0,38%. Isso ocorre também quando uma empresa recolhe IR, PIS, Cofins, contribuição ao INSS etc.

O IBPT calculou esse “mal em dose dupla”: desde 1997 até o final deste ano, o governo terá obtido cerca de R$ 19,7 bilhões com a CPMF sobre os outros tributos. Neste ano, essa conta chegará perto de R$ 3,3 bilhões.

Juiz que arquivou caso Richarlyson terá 15 dias para se explicar ao CNJ

Olha esse juiz, que falta de noção…

Ricardo Viel – do site Última Instância

O juiz da 9ª Vara Criminal de São Paulo, Manoel Maximiano Junqueira Filho, tem 15 dias para apresentar ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) suas razões sobre a decisão tomada na semana passada de arquivar o processo movido pelo jogador do São Paulo Richarlyson contra um dirigente do Palmeiras. O cartola teria insinuado em um programa de televisão que o atleta é homossexual.

Na última quinta-feira (5/8), o juiz negou prosseguimento (arquivou) à ação por entender que a queixa-crime não reunia condições jurídicas. A decisão gerou polêmica porque, entre outras coisas, o magistrado disse que futebol não era jogo homossexual.

Segundo o juiz, “o futebol é jogo viril, varonil, não homossexual”. Para ele, caso o jogador seja homossexual e resolva assumir sua preferência sexual melhor seria abandonar os gramados. A defesa do meio-campo são-paulino recorreu ao CNJ com uma Reclamação Administrativa pedindo que a conduta do magistrado seja analisada.

Após a resposta, o CNJ decidirá se abre processo administrativo contra o juiz. A assessoria do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) informou que o Junqueira Filho não comentará a decisão e nem o pedido de explicações.

“Quem se recorda da Copa do Mundo de 1970, quem viu o escrete de outro jogando (Félix, Carlos Alberto, Brito, Everaldo e Piaza; Clodoaldo e Gérson; Jairzinho, Pelé, Tostão e Rivelino), jamais conceberia um ídolo seu homossexual.”, afirma o juiz na sentença. “Quem presenciou orquestras futebolísticas […] não poderia jamais sonhar em vivenciar um homossexual jogando futebol”.

Para o juiz, não se mostra “razoável” a aceitação de homossexuais no futebol brasileiro, porque “prejudicaria a uniformidade de pensamento da equipe, o entrosamento, o equilíbrio, o ideal”. Segundo Junqueira Filho, um jogador homossexual pode jogar futebol desde que “forme seu time e inicie uma Federação”.

“Agende jogos com quem prefira pelejar contra si”, diz Junqueira Filho. “Oras, bolas, se a moda pega, logo teremos ‘sistema de cotas’, forçando o acesso de tantos [jogadores homossexuais] por agremiação”, completa o juiz, que fecha a decisão citando um provérbio popular: “Cada um na sua área, cada macaco em seu galho, cada galo em seu terreiro, cada rei em seu baralho”.

Repercussão
Por meio de nota, o ministro da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, classificou a decisão de Junqueira Filho de “homofóbica”. “O ministro expressa a sua confiança em que o Poder Judiciário procederá a revisão dessa decisão, demonstrando seu compromisso com os princípios constitucionais que configuram o Estado democrático de direito”.

Vanucchi ressaltou ainda a necessidade de aprovação com urgência pelo Congresso Nacional do Projeto de Lei 122/06, que criminaliza as condutas homofóbicas.