Arquivo de abril \27\UTC 2007

Recorde de congestionamento

congestionamento.jpg

Havia 133 km de trânsito parado na cidade enquanto a média era de 75 km. Mais cedo, às 9h30, o trânsito chegou a somar 166 km para uma média de 94 km. Foi o maior congestionamento registrado em períodos da manhã na cidade, desde o começo deste ano. Os problemas são reflexo da chuva que cai na capital desde a noite de ontem.

Os enormes congestionamentos são causados principalmente pelo excesso de veículo. Não dá pra pensar em mobilidade dentro de cidades como São Paulo sem transporte público eficiente. Enquanto todo mundo quiser ir com o seu próprio carro para o trabalho, o transito na cidade só vai piorar.

Os Afro Sambas – Vínicius de Moraes e Baden Powell

os_afro_sambas.jpg

Sexta-Feira, dia de classicão da música brasileira. Esse álbum de 1966 juntou elementos originalmente africanos com o nosso samba. Segundo álbum da parceria Powell e Moraes, traz o “Canto de Ossanha”, marco fundamental da MPB.

1. Canto de Ossanha
2. Canto de Xangô
3. Bocoché
4. Canto de Iemanjá
5. Tempo de amor
6. Canto do caboclo
7. Tristeza e solidão
8. Lamento de Exu

Baixar

José Simão – Romário faz gol na Dercy!

ze-simao.jpg

Moscou abaixo de zero! Moscou também tem piada pronta: sabe como se chama o porta-voz do Kremlim que anunciou a morte do Boris Ieltsin? Alexander SMIRNOFF! Então não é porta-voz, é porta-vodca.

Se a moda pega, o porta-voz do Lula devia se chamar Zé 51! Porta-pinga. Ué, eles não são companheiros de branquinha? Rarará! Por isso que o Boris devia se chamar Porris. PORRES Ieltsin! E diz que estava escrito no caixão do Ieltsin: INFLAMÁVEL! Rarará!

E aquela véinha com síndrome de abstinência de bingo anda com uma cartela na carteira. E ainda disse: só falta eles cortarem a vacina contra gripe! Rarará!

E o que vem antes? O ovo ou a galinha? O gol mil do Romário ou o centenário da Dercy? Aliás, o Romário podia chamar a Dercy: “Dercy, faz o meu gol mil?”.

E corre na internet um cartaz “Em Busca do Gol Mil”. Com o Romário já véinho e de bengala. Vasco x Ibis. 4 de abril de 2027. Apoio BMG: Banco Mundial de Geriatria! Rarará!

Aliás, onde será que o Romário vai fazer esse Gol Mil? 1) No Feirão do Usado; 2) Na comemoração do centenário da Dercy; 3) Na Granja do Torto, com lingüiça de frango; 4) No BINGO, com um monte de véinha gritando “Merda”! Rarará!

E eu adorei a charge do Pelicano que traz a declaração do juiz: “Tudo será esclarecido. Podem APOSTAR”. Rarará!

E juiz de futebol já está se sentindo ofendido de ser chamado de juiz. Agora exigem o tratamento de árbitro. Não sou juiz, sou árbitro! Porque tem diferença entre juiz ladrão e árbitro ladrão!
É mole? É mole, mas sobe! Ou, como diz aquele outro: é mole, mas chacoalha pra ver o que acontece!

Antitucanês Reloaded, a Missão. Continuo com a minha heróica e mesopotâmica campanha “Morte ao Tucanês”. Acabo de receber mais um exemplo irado de antitucanês. É que uma amiga minha fez uma viagem para o Uruguai e disse que Vigilantes do Peso lá se chama GORDOS ANÔNIMOS! Rarará! Mais direto, impossível. Viva o antitucanês. Viva o Brasil!

E atenção! Cartilha do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. “Ieltsin”: companheiro que acaba de espirrar! Rarará! O lulês é mais fácil que o inglês.

Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje, só amanhã.
Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno!
E vai indo que eu não vou!

Deputado Frank Aguiar faz show em Brasília

frank-aguiar.jpg

Terminou em desagravo a Lula o jantar-show do deputado Frank Aguiar (PTB-SP), anteontem em Brasília. De Manuela D’Avila (PC do B-RS) ao líder do governo na Câmara, José Múcio (PTB-PE), mais de 50 parlamentares acompanharam com as mãos ao alto o refrão de “Deixa o Homem Trabalhar”, jingle da campanha presidencial de Lula.
Foi um momento surpresa para as “autoridades” presentes. Frank trouxe o compositor do jingle lulista, Lázaro do Piauí.

Para quem não ia a um show há 40 anos, como ele próprio afirmou, o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), esbanjava animação, sentado na mesa mais privilegiada da festa, em frente ao palco.

Entre bate-papos ao pé do ouvido ora com Manuela, ora com o assessor especial do Planalto, Swedenberger Barbosa, Chinaglia foi interrompido pelo cabeleireiro Carlinhos Beauty, que deu dicas sobre seu visual. Questionado se estava pensando em pintar os cabelos, Chinaglia entrou na brincadeira: “Vou. E de vermelho”.

Cobrando R$ 200 reais pelo convite, que incluía o show e um jantar com comidas típicas do Piauí, Frank Aguiar estava animado com a platéia de parlamentares. “Até parece que vai ter votação aqui, de tanto deputado”, disse. No palco, garotas com saias curtas dançavam forró. Teve até “palhinha” de Gretchen, dançarina e estrela de filmes pornôs.

Fontes extra-oficiais dizem que alguns parlamentares resolveram sair de fininho quando as dançarinas do cantor começaram a esboçar um strip-tease…

Condenados usarão pulseira para monitoramento

pulseira.jpg

A exemplo de países como Estados Unidos, França e Austrália, o Brasil deverá adotar o monitoramento eletrônico para vigiar condenados em regime semi-aberto ou nos casos de livramento condicional ou saída temporária da prisão. A medida consta do substitutivo do relator Demóstenes Torres (DEM-GO), aprovado ontem na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, em regime terminativo – não há necessidade de votação em plenário. Demóstenes usou parte das propostas do governador José Serra e dos senadores Aloizio Mercadante (PT-SP) e Magno Malta (PR-ES).

A vigilância será feita com o uso, pelo preso, de pulseira ou tornozeleira que permita detectar e controlar movimentos a distância. O monitoramento será obrigatório em casos de condenação por tortura, genocídio, tráfico de drogas, terrorismo, ligação com o crime organizado e nos crimes de extorsão com seqüestro ou morte. Nos demais casos, caberá ao juiz decidir sobre o uso da vigilância. O condenado que se recusar a usá-la não poderá ficar fora da prisão.

A proposta integra um pacote de oito medidas de combate à violência aprovadas ontem. Como todas são de iniciativa de senadores, serão encaminhadas à Câmara dos Deputados.

Urubu – Antonio Carlos Jobim

urubu_jobim.gif

Obra prima do maestro soberano, o grande mestre Jobim. Nesse album está a faixa que dá nome ao Blog, Correnteza.

1. Boto (Porpoise)
2. Ligia
3. Correnteza
4. Ângela
5. Saudade do Brazil
6. Valse
7. Arquitetura de morar
8. O homem

Baixar

Urubu

tomjobim.jpg

Jereba é urubu importante como, aliás, todo urubu. Mas entre eles, urubus, observam-se prioridades. E esse um é o que chega primeiro no olho da rês. Sem privilégios. Provador de venenos, sua prioridade é o risco. O que ele não toca é intocável. Jereba é urubu importante e por isso ganhou muitos nomes.
Peba.
Urubupeba.
Urubu Caçador.
Achador.
Urubu Procurador.
Urubu de Cobra.
Urubu de Queimada.
Camiranga.
Urubu de Ministro.
De cabeça Vermelha.
Urubu Gameleira.
Urubu Peru.
Perutinga.
Urubu Mestre.
Cathartes Aura.
Não confundir com Urubu Rei. Nem é Urububu.
Não tem pompas, nem é tão igual assim. Só se parece consigo mesmo.
Não é Urubutinga. Nem Urubu do Mar, Carapirá. Nem o de Cabeça Amarela, nem o famoso Urubu Chacareiro, que voa baixo sobre chácaras e quintais, só come manga e não existe. É mentira de caçador perna-de-pau, de cadeira de balanço, de aposentada carabina.
Nem mera citação de nomes – Urubu Sonho.
Nem conotação de azar – Urubu Morcego.
Na verdade não és culpado da nossa devastação. Corcovado de duas corcovas, solenes ombros altos de tanta asa sobrante, as mãos cruzadas às costas, narinas conspícuas vazadas, grave, ministro de assuntos impossíveis, só tu sentas à mesa com o Rei.
No chão não te moves bem. Fraco de pernas, maljeitoso, troncho, pousado és o mais feio dos urubus. Despropositado passarão.
Matas com fezes ácidas a árvore onde dormes à espera do dia solar. E vem o dia, as termais e o vento, e a necessidade de voar.
Dia velho, as asas aquecidas, o Jereba mergulha na piscina. Pé de serra, fim de baixada onde começa a ladeira e os contrafortes azulam na distância, o Jereba sobe na chaminé do dia. Urubupeba. As rêmiges das asas púmbleas, prata velha fosca, dedos de mão apalpando o vento, adivinhado tendências. Urubu Mestre. As grandes asas expandidas cavalgam as bolhas de ar quente emergentes da ravina. Tolo papagaio, tola pipa boiando no ar, não-querente, não desejo navegante, à deriva, à bubuia – pois sim! – preguiçoso atento dormindo na perna do vento. Esse sabe o que há de vir. Aquário do céu.
Teu canto imita o vento. Hisss… As asas agora curtas, sobraçando trilhos de ar, pacote negro compacto, bico cravado no vento, velocidade feita letal, muro de azul aço abstrato – e adeus viola que o mundo é meu.
Nas lentes dos olhos, a águia oculta y entrabas e salias por las cordilleras sin pasaporte.
Urubu procurador. Urubu Achador. Que sabes do alto o que se esconde no chão da mata virgem e dos muitos perfumes que sobem do mundo.
Eterno vigia de um tempo imperecível. Guardião de dois absurdos.
Nos vetustos paredões de pedra, esculpidos pela millennia, dorme de perfil um urubu.
A vida era por um momento.
Não era dada. Era emprestada.
Tudo é testamento.